Paróquia
Sagrado Coração de Jesus

Poços de caldas - mg | Diocese de guaxupé

Homilias em Destaque › 14/04/2017

Quinta feira Santa – Missa da Ceia do Senhor

 

A Liturgia que hoje celebramos da inicio ao Tríduo Pascal: são três dia de uma liturgia que é uma única celebração. Na quinta feira, hoje, celebramos a grande revelação sobre uma vida feliz, não tem amor verdadeiro sem serviço. Jesus se faz servo do amor, servo por amor. Na sexta feira vamos celebrar a Paixão e morte: isto é quando amamos de verdade é preciso assumir as consequências, o amor é sacrifício concreto, não existe doação sem desprendimento. Sábado Santo a noite a grande Vigília da Ressurreição: renovamos o batismo, o sacramento que nos torna outros Cristos, que recebemos para viver como ele ressuscitando com ele. Mas voltamos a hoje, o dia do Servo por amor, dos gestos tão importantes e significativos. Jesus foi muito claro: Eu lhe dei um exemplo: vocês devem fazer o que eu fiz!!

Com este gesto Jesus entra profundamente no sentido do amor, na sua essência. Uma explicação que entra profundamente em contraste com o “amor” que se vive hoje, um amor que vive junto com aparência, que é direcionado apenas a interesses pessoais, isto é: amo quando quero, amo quem eu quero, amo como quero. Amor muitas vezes ligado a troca de favores, que prejudicam porém os outros. Jesus quando nos diz que não veio para ser servido, mas para servir, está dizendo que o amor acima de tudo é uma maneira de ser, uma maneira de viver. Algo que existe dentro de nós e que norteia nossas vidas. Não é um sentimento que vai embora do mesmo jeito que chegou, é algo muito mais determinado: é uma decisão, a decisão de doar nossas vidas. Fora disso nunca vamos fazer o que Jesus pediu, seguir o seu exemplo. Doar a própria vida é uma caminhada para vida inteira. Cada dia se aprende a doar a vida, cada dia aprendemos algo novo, cada dia crescemos, mas a base de tudo é a decisão de nos doar. Sem esta decisão, tudo fica confuso e nossa vida fica como uma bandeirinha que vai do lado que o vento quer, segue um monte de modas, fica perdida atrás dos fatos e dificuldades da vida, dos nossos relacionamentos, a cada dificuldade real perdemos o rumo e não sabemos mais o que é amar, não sabemos como amar.

Jesus nos pede de acreditar que a doação por amor é um caminho de felicidade e realização. Não pede servilismo, puxa-saquismo, se colocar abaixo dos outros. Pede-nos de fazer como ele. Ser Servos por amor não significa ser escravos.  Este jeito de amar nos acompanha sempre, na vida familiar, no trabalho, nas horas de descanso e lazer. O próprio descanso, o cuidado com a saúde, uma boa leitura, um momento de cultura no teatro o no cinema, atividades de lazer fazem parte de uma vida equilibrada, e podem ser expressão de amor ao próximo, desde que a vida não seja apenas isso e que o cronograma da minha semana não seja sempre e apenas centrado em mim, e nunca tenho um espaço para servir gratuitamente o meu próximo. Alguém poderia justamente dizer: “Padre, mas eu cuido 24 horas por dia do meu pai doente”: essa é uma grande missão, amando e cuidando bem do seu pai, a pessoa esta se doando para todos, está doando sua vida. Quando a luz do serviço e do amor, estão no nosso coração, agente acha mil maneiras de ajudar os outros, vem ideias sempre novas. Isso vejo em muitas pessoas da comunidade como são criativas, porque o coração delas está sendo moldado pelo exemplo de Jesus. A Eucaristia que recebemos não alimenta o nosso egoísmo, nossos interesses, mas alimenta uma vida doada por amor. A Eucaristia realiza grandes coisas em quem se dispõe a uma vida eucarística: ser servo por amor!

Deixe o seu comentário