Paróquia
Sagrado Coração de Jesus

Poços de caldas - mg | Diocese de guaxupé

Homilias em Destaque › 19/09/2017

Perdoar como o Pai nos perdoa- Homilia do 24º Domingo do Tempo Comum (17/09/2017)

Antes de fazer a sua reflexão, leia o evangelho do XXIVº Domingo do Tempo Comum clicando aqui!

Perdoar é algo de Deus. Enquanto não entendermos a grandeza do perdão e quanto ele é divino, não seremos capazes de aprender a perdoar. Só compreendendo a grandeza do perdão teremos a força de fazer um caminho de misericórdia que nos ensine a perdoar. Não tem como viver sem perdão. Não tem como viver em família sem perdão. Onde existem relações é sempre preciso perdoar, porque não existe ninguém que não erra. Todos precisamos ser perdoados, todos precisamos perdoar.

Pedro mais uma vez fala com Jesus de uma forma muito humana: quantas vezes preciso perdoar? Até sete vezes? Ele achava que já era um grande feito perdoar sete vezes, o número perfeito para os judeus. Mas Jesus não trata do perdão como uma questão de quantidade, mas uma maneira de ser. Seria como se alguém perguntasse: quantas vezes devo amar a minha esposa, ou meu filho, ou minha mãe? A resposta todos sabemos. O amor é para sempre, é sempre vivo, é sempre atual, ou se ama ou não se ama. O perdão é como o amor, é uma maneira de ser que faz parte da pessoa. Quem ama perdoa. Mais ainda diria que quem perdoa ama. Deve ficar claro que aqui falamos de família, de comunidade, de relações próximas e diárias. O perdão social é outro assunto que merece outras explicações, mas hoje estamos falando da vida do dia a dia.

Entendo que o caminho para sermos pessoas misericordiosas começa quando aprendemos a amar as pessoas do jeito que elas são. Ninguém é obrigado a ser do jeito que me agrada. Cada um é cada um e quando desenvolvemos compreensão, paciência, acolhida estamos nos preparando muito bem a perdoar.

Jesus foi muito claro. O Patrão havia perdoado ao empregado uma dívida enorme, mas ele com seu colega não foi capaz de perdoar uma mixaria. Estes somos nós que de Deus sempre recebemos o perdão e uma nova chance de sermos melhores, mas com nossos semelhantes somos duros e condenamos com muita facilidade. Quantas famílias destruídas por falta de perdão. Quantas amizades terminaram por falta de perdão.

Todo dia rezando o Pai Nosso falamos “perdoai as nossas ofensas, assim com nos perdoamos a quem nos tem ofendido”. Deus quer que sejamos semelhantes a Ele. Que tenhamos a maneira de amar que Ele tem. Copie de próprio punho o texto da leitura de domingo Eclesiástico 27,33-28,9 e deixe que tanta sabedoria divina toque o teu coração. Faça uma folha e pendure onde possa vê-la bastantes vezes ao dia.

Bom caminho de misericórdia.

Padre Graciano Cirina

Paróquia Sagrado Coração de Jesus

Poços de Caldas- MG | Diocese de Guaxupé

Deixe o seu comentário