Pastoral do Batismo

A pastoral realiza uma visita domiciliar antes e depois do batizado, para conhecer a família e manifestar a acolhida de toda a paróquia. Na ocasião do Batismo é realizado, aos sábados, um encontro de preparação para pais e padrinhos sobre o sentido do Batismo e sua celebração. Os Batismos são realizados no segundo domingo do mês, após a missa das 10h na Igreja do Sagrado Coração de Jesus. No quarto domingo do mês após a missa das 08h na Igreja São José.

Formação e Espiritualidade da Pastoral:
Para a sua formação catequética e o crescimento espiritual a Pastoral do Batismo se encontra duas vezes por mês: na 1ª e 3ª quinta-feira de cada mês. Durante o ano, se organiza um dia de retiro espiritual e também momentos de confraternização.
Coordenadores:
Antonio Mateus Gouveia de Andrade / Vera Lucia Camargo Andrade
E-mail de contato:
batismo@scjpocos.com
Para maiores detalhes acesse …
O Batismo na Paróquia
Dirimir dúvidas / Participar da Pastoral
Se você tem alguma dúvida sobre o Batismo ou simplesmente gostaria de participar desta pastoral entre em contato com o pároco ou diretamente com a pastoral.

A Pastoral do Batismo na Comunidade

A Pastoral do Batismo tem um papel fundamental da vida da Igreja: cuidar da preparação, da realização e do acompanhamento dos batismos e ainda acompanhar os batizados e suas famílias com visitas domiciliares. Batismo vem de uma palavra grega que significa imersão. Morremos ao pecado para ressurgir a uma vida nova. O Batismo é o primeiro de todos os sacramentos, a porta que nos abre a uma vida de graça.

O Batismo na Igreja primitiva

O Batismo é um sacramento de iniciação, isto é, um sacramento que nos introduz numa comunidade, a comunidade de Cristo. Jesus fundou o Batismo ao se fazer batizar por João Batista, que pregava um batismo de conversão. Mesmo não precisando, Jesus entrou na fila e se fez batizar para assumir a nossa condição. Mas ele instituiu um novo Batismo no Espírito Santo, o início de uma nova vida. Ele pessoalmente não batizou ninguém, mas pediu aos apóstolos que fossem evangelizar e batizar todos “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Os Atos dos Apóstolos nos mostram que quando as pessoas ouviam São Pedro e os outros apóstolos falar, ficavam tão impressionados que pediam para ingressar em sua comunidade. Assim os apóstolos os confiavam a mestres da fé, para que fossem preparados. Olhando isto entendemos que receber o Batismo é decidir pertencer a Cristo, a sua comunidade e seguir seus passos. O abandono da vida antiga, de tantos vícios e pecados, da idolatria, era um percurso obrigatório para receber o Batismo, que assumia assim o elemento do perdão dos pecados, da regeneração, do banho nas águas do Espírito Santo.

Batizar crianças ou adultos?

Nós Igreja Católica batizamos crianças na fé dos adultos, porque acreditamos que a graça do batismo pode ser recebida desde o nascimento, graças ao compromisso dos pais e padrinhos, do sacerdote e

da comunidade cristã, que assume os seus novos filhos com plena consciência de sua vocação de ensinar a fé e o caminho do Evangelho.

Qual Batismo é valido?

O Batismo é ordinariamente válido quando o ministro (bispo, presbítero, diácono)  ou, em caso de necessidade qualquer pessoa (batizada), derrama água sobre o batizando, enquanto diz: “nome do batizando, eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Isso supõe a fé em Jesus Cristo, pois sem a fé o Batismo não passa de uma encenação.

Mas não só o Batismo na Igreja Católica é válido. O Batismo de crianças ou de adultos realizados em algumas outras igrejas também é valido. Batizam validamente: as Igrejas Orientais; a Igreja Vetero-Católica; a Igreja Episcopal (Anglicana) do Brasil; a Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB); a Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil (IECLB), a Igreja Metodista e outras.

O batismo em outras Igrejas é válido se realizado com água e na mesma fé, utilizando a fórmula trinitária. Nesses casos, quando há garantias de que a pessoa foi batizada segundo o rito prescrito por essas Igrejas, não se pode rebatizar, nem sob condição. Essas Igrejas são: Igrejas Presbiterianas; Igrejas Batistas; Igrejas Congregacionistas; Igrejas Adventistas; a maioria das Igrejas Pentecostais (Assembléia de Deus, Congregação Cristã do Brasil, Igreja do Evangelho Quadrangular, Igreja Deus é Amor, Igreja Evangélica Pentecostal ,´´O Brasil para Cristo´); e Exército da Salvação (este grupo não costuma batizar, mas quando o faz, realiza-o de modo válido quanto ao rito).

Há Igrejas cujo batismo se pode prudentemente duvidar e por essa razão se requer, como norma geral, a administração de um novo batismo, sob condição. Essas Igrejas são: Igreja Pentecostal Unida do Brasil (esta Igreja batiza apenas ´´em nome do Senhor Jesus´´, e não em nome da SS. Trindade); ´´Igrejas Brasileiras´´; e Mórmons (negam a divindade de Cristo, no sentido autêntico e, conseqüentemente, o seu papel redentor).

Com certeza, batizam invalidamente: Testemunhas de Jeová (negam a fé na Trindade), Ciência Cristã (o rito que pratica, sob o nome de batismo, tem matéria e forma certamente inválidas). Algo semelhante se pode dizer de certos ritos que, sob o nome de batismo, são praticados por alguns grupos religiosos não cristãos, como a Umbanda.

Conheça nossa paróquia

Pastorais, Movimentos e Ministérios