Paróquia
Sagrado Coração de Jesus

Poços de caldas - mg | Diocese de guaxupé

Onde está a verdadeira felicidade?- Homilia do 7º domingo do tempo comum- Pe Graciano

Lucas no seu evangelho relata, assim como Mateus, as bem-aventuranças, mas o faz de uma maneira mais direta. Enquanto Mateus tem 8 bem-aventuranças, Lucas tem a metade, 4: os pobres, os que tem fome, os que choram, os perseguidos.

Podendo traduzir, de maneira mais simples, a bem-aventurança seria como dizer: você será feliz se()! Incrível como Jesus exalta aquilo do qual todo mundo foge: quem quer ser pobre? Passar fome? Chorar? Ser perseguido?

Mas é claro que Jesus não quer nem a pobreza, nem a fome, nem o sofrimento e a perseguição: Ele está vendo na sua frente pessoas nesta situação, esta constatando uma realidade que existe, não uma situação que ele quer. Então, nesta leitura devemos ligar a palavra “felizes” (bem-aventurados) ao porquê que Jesus fala: porque vosso é o Reino de Deus, porque sereis saciados, porque havereis de rir, pois será grande a vossa recompensa(…)!

Claro que Deus, em Jesus, manifesta o seu cuidado, a sua preferência com aqueles que deixamos sofrer, que deixamos com fome e tristes. Então Jesus está desta maneira anunciando a sua obra que vai trazer mais justiça ao mundo.

Na segunda parte, porém, as quatro Bem-aventuranças correspondem a quatro “ai de vós!”: aos ricos, aos que tem fartura, aos que riem, aos que são elogiados. Neste caso também precisamos entender que Jesus parece mais condenar a indiferença em relação aos que sofrem. Podemos entender que quem se satisfaz com a riqueza da terra, riqueza material, não vai conhecer a riqueza de Deus, isto é como se Jesus falasse “Não é este o caminho que leva a Deus e portanto a Felicidade. Então quem se consola sozinho com uma vida egoística e de coração fechado não conhecerá a consolação de Deus; quem aposta na fartura material não terá a fartura de Deus; quem aposta sua vida na abundância da comida, não vai matar a fome de Deus e por isso não será feliz. Tereis luto e lágrimas, a sua vida não terá paz.”

Nós idolatramos jogadores milionários, estrelas da música, da TV, do cinema, mas Jesus nos ensina que não é este o caminho de felicidade. Jesus nos convida a uma vida mais essencial, a descobrir valores que não passam e a matar a fome de Deus que deixa um buraco enorme na nossa alma, no nosso ser.

Padre Graciano Cirina

Paróquia Sagrado Coração de Jesus

Poços de Caldas- MG

Diocese de Guaxupé

Deixe o seu comentário