Paróquia
Sagrado Coração de Jesus

Poços de caldas - mg | Diocese de guaxupé

Paróquia hoje:
Homilias em Destaque › 15/01/2018

O que estais procurando?- Homilia do IIº domingo do tempo comum

O evangelho deste domingo nos coloca alguns detalhes sobre o primeiro encontro de Jesus com alguns dos apóstolos. Parece que tudo foi bem casual e foi o João Batista o indicou como o “Cordeiro de Deus”. O que neste breve episódio fica interessante é que Jesus percebeu que estava sendo seguido e se virou perguntando: “o que estais procurando?”

Que pergunta interessante! Uma pergunta que o evangelista coloca para as comunidades e também hoje para todos nós. Jesus não quer que seus seguidores sejam pessoas que obedecem cegamente e que tenham uma personalidade fraca que pode ser manipulada. Por isso pergunta não “quem”, mas “o que” estais procurando. Seria como dizer o que vocês querem da vida, qual o sentido que estão procurando, porque querem me seguir e por qual razão.

Os discípulos estavam atrás do Messias, o ungido, o libertador de Israel, mas Jesus coloca a pergunta para dizer o que significa segui-lo. Tem momentos que Jesus depois de um certo tempo questiona profundamente o seguimento deles, quando, por exemplo, diz que podem segui-lo mas que ele não tem nem onde encostar a cabeça! Quer dizer, não procurem em mim a segurança financeira, casas e poder. Em outro momento, quando seus ensinamentos se tornaram duros e difíceis, Jesus questiona novamente o seguimento deles: “Todos estão se retirando, vocês também querem ir embora?” Neste caso linda é a resposta deles: “Onde iremos Senhor? Só tu tens palavras de vida eterna!”

Hoje a liturgia nos coloca a mesma pergunta: o que estamos procurando? Por que estamos agora na missa? Porque somos cristãos? O que procuramos em Jesus?

Muitas pessoas se enganam em relação a Jesus, o conhecem muito pouco e dedicam pouco tempo para ver quem realmente ele é. Por isso se decepcionam com a fé, alias com o próprio Jesus. Já falamos muitas vezes daqueles que vivem uma fé em Jesus estilo “pronto socorro”, buscam Jesus no desespero para que solucione seus problemas, que cure suas doenças, pague suas dívidas, arrume emprego e tantas outras coisas. Neste caso são candidatos a grandes decepções, porque o que estão procurando não é o que Jesus faz.

Outros buscam em Jesus um “cantinho para viver em paz”. É aquele jeito de viver a fé tipo “meu Jesus” que contradiz totalmente o que ele nos ensinou: Pai Nosso. Vamos chamar isto de fé intimista e individualista, onde a pessoa quer Jesus a serviço do seu querer. Outros ainda veem em Jesus uma tradição que precisa ser observada com rigor, onde o que já foi é sempre o melhor do que existe. São maneiras fundamentalistas de viver a fé, onde se tenta fechar Jesus e o Espírito Santo em um caixote que nos agrada.

Os cardeais tradicionalistas que atacam continuamente papa Francisco reconhecem o poder dos papas anteriores, mas não reconhecem que Francisco é papa também e que traça novos caminhos pela ação do Espírito Santo.

Seguir Jesus, porém, não é nada disso. Seguir Jesus é entrar em sintonia com suas palavras e exemplos e se dispor a abraçar o estilo de vida dele e se sentir parte do seu projeto de vida. Nesta experiência de seguir Jesus podemos ou não receber muitas graças e curas, mas elas não são o objetivo da nossa fé, mas a misericórdia de Deus que nos cobre.

Padre Graciano Cirina

Paróquia Sagrado Coração de Jesus

Poços de Caldas- Diocese de Guaxupé- MG

Deixe o seu comentário