Paróquia
Sagrado Coração de Jesus

Poços de caldas - mg | Diocese de guaxupé

Homilias em Destaque › 31/01/2017

O Milagre acontece quando há uma nova mentalidade de Partilha

O Evangelho que ouvimos traz o grande discurso de Jesus que traça as linhas de uma nova humanidade. Muito dizem que se por acaso fossem queimadas todas as bíblias do mundo seria suficiente salvar esta pagina. Não precisa muito esforço para entender que neste discurso de Jesus, dito Sermão da Montanha, existe algo de muito grande. O misterioso Reino dos Céus que representa a maior felicidade que possa existir. Parece que Jesus quer dar uma resposta aquela exigência primordial que desde sempre está na nossa alma. Nós fomos criados para ser felizes. A alegria é a nossa vocação. Uma alegria alcançável, não fruto de fantasias e nem uma pura utopia ilusória. Parece que na primeira expressão “Bem aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino de Deus” são resumidas as outras bem-aventuranças que são proclamadas: os aflitos, os mansos, os que têm fome de sede e de justiça, os misericordiosos, os puros de coração, os que promovem a paz, os perseguidos. Podemos escolher cada uma destas “portas” para entrar no Coração de Deus, na comunhão de quem aprende a pensar como Deus e ver o mundo do jeito de Deus.

A frase que hoje escolhemos como tema da Missa fala que uma nova mentalidade da partilha faz acontecer o milagre. O maior milagre de todos: aprender a pensar como Deus, agir como Deus. Partilhar significa repartir aquilo que somos e que temos. São Paulo nos diz que “Cada qual tenha em vista não os seus próprios interesses, e sim os dos outros…  Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens.”

Este é o amor, o milagre de sempre. Deus é amor porque não olha pra sim, mas se doa para nós, a sua maior alegria e nos fazer felizes, nos dar vida em plenitude. Esta é a raiz da Partilha, este desejo de amar o próximo, repartindo com ele nossa vida, nossas alegrias, e socorrê-lo com a nossa ajuda. Jesus nos garante que esse é um caminho de Felicidade.

Tem pessoas que mesmo longe de se inspirar em Jesus Cristo chegaram a mesma conclusão. Por exemplo, Bill Gates 6/7 anos atrás com uma campanha chamada  Giving Pledge (Promessa de doação)  convenceu 40 milionários americanos a doar metade dos seus bens e recentemente disse que não vai deixar a sua riqueza aos seus filhos: “Dar aos meninos esta quantia de dinheiro não seria fazer um favor para eles. Seria um enorme impecilho para construir suas vidas. Este dinheiro é destinado a ajudar os mais pobres, nossos filhos o sabem e são orgulhosos disso.”

As primeiras comunidades colocavam tudo em comum para que entre eles ninguém passasse necessidade. Quando os apóstolos perceberam que as comunidades estavam se deixando levar por egoísmos e vaidades em detração de um verdadeiro espírito de fraternidade logo chamavam atenção com frases duríssimas.

O mundo mudou muito, mas ainda hoje queremos manter abertas as portas das bem-aventuranças e trilhar caminhos de fraternidade e de uma felicidade verdadeira e não ilusória. Na imagem que escolhemos o garoto oferece tudo que tinha naquele momento para Jesus e este gesto de partilha gerou o milagre da multiplicação dos Paes e peixes. A gente se inspira nisso desde que criamos a nossa paróquia: a igreja do Sagrado, por exemplo, é fruto desta partilha, do esforço, do trabalho, da participação de muitos e de tantas contribuições. O que falar da Aphas que agora em março completa 10 anos. Neste tempo são centenas e centenas de crianças e adolescentes que ajudamos a crescer, e escapar de tantos perigos. Tudo fruto da partilha de pessoas da comunidade . Começamos com um grupo de garotos correndo atrás de uma bola e a gente vê quanto Deus multiplicou nossos esforços, o que hoje se tornou a APHAS.

A Paróquia é uma comunidade de pessoas e de famílias, mas do ponto de vista financeiro é como uma pequena empresa que todo mês tem suas despesas a pagar: só que não temos produto nenhum para vender, não temos alugueis ou outro tipo de renda. Mas qual é a garantia que nós podemos pagar as despesas do mês??

São os cinco Paes e dois peixes, a nossa garantia é a partilha, está no fato acerca de 250 pessoas oferecem o seu dizimo todo mês, está naqueles que no ofertório se levantam e vem aqui oferecer sua contribuição em todas as missas. É só essa a nossa garantia, quase uma aposta que se repete todo mês. Não existe cobrança, ninguém é obrigado, todos doam pela própria decisão. Uma decisão de amor a sua comunidade. A gente sabe que outros ainda tomarão esta decisão, porque a partilha nos liberta das amarras do egoísmo. Assim que vivemos, assim que nos mantemos, assim que cuidamos das nossas Igrejas assim e cuidamos de tantas pessoas que precisam de nós. Vejo que a nova mentalidade da partilha está se espalhando no coração de muitas pessoas, que de iniciativa própria estão ajudando famílias que precisam, muitos trazem para nós cestas básicas e outras coisas que estamos dando a muitas famílias. As vezes vejo que aqueles que têm uma situação de vida melhor estão ajudando outros em dificuldade. Esta é a comunidade. Sei que precisamos crescer nisso e muito mais pode ser feito, mas esperamos a decisão de outros ainda que vão poder partilhar, Deus que toca o coração e ele sabe quando e como. Estas são as Bem-aventuranças dos misericordiosos, dos que promovem a paz, dos que tem fome de justiça. Não tem justiça quando fechamos o coração, e como desejar a paz, como fazemos na missa, se deixamos nossos irmãos em necessidade? Então a partilha, a solidariedade são coisas de Deus. Quando colaboramos com a nossa comunidade estamos buscando semelhar a Deus que nunca nos deixa desamparados.

Missa da Partilha – 28 e 29 de janeiro 2017.

 

Deixe o seu comentário