Paróquia
Sagrado Coração de Jesus

Poços de caldas - mg | Diocese de guaxupé

Homilias em Destaque › 07/11/2016

Festa de todos os Santos – Santidade em tempos atuais

Hoje celebramos uma festa que tem um sentido muito bonito: como todos somos chamados a voltar para casa do Pai, onde muitos já chegaram, todos somos chamados a ser santos. Santidade não é um caminho para poucos, é caminho para todos. Não existe uma possibilidade intermedia, não existe uma vida que não seja definida: ou somos de Deus ou não somos dele. Portanto hoje nos questionamos se existe uma santidade atual, e como todos os tempos temos exemplos para aprender a sermos santos nos tempos atuais. Como fez Jesus no seu tempo nós também olhamos as feridas da nossa sociedade e tentamos agir para curar estas feridas com a luz de Deus. Vejo alguns caminhos de santidade moderna e atual, digo caminhos pois a santidade é uma conquista de cada dia, nunca se alcança plenamente, mas sempre se busca…

1-O mundo materialista precisa de pessoas capazes de estar com Deus, capazes de nos ajudar a lembra que o ser humano é filho de Deus, tem um Pai com o qual vive em comunhão de amor. Caminho de santidade contra o materialismo é valorizar a dimensão espiritual e interior. Santidade hoje é vive a dimensão da oração, aprender e meditar, contemplar a obra de Deus. Caminho de santidade é falar com Deus, é interceder, é adorar, é contemplar.

 

2-O mundo atual é ferido por relações humanas precárias e superficiais, divisões, competição, relações frágeis, traição, falta de compromisso. Caminho de santidade é zelar por relações autenticas, zelar por amizades sinceras, perdoar para não perder amizade, ser pacientes, bem parecido com o mandamento novo de Jesus “Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”. Ser pessoas que constroem unidade e não divisão.

 

3-Vivemos uma sociedade que não sabe ser mãe de todos, marcada por profunda desigualdade e graves injustiças que geram tantas pessoas com necessidades básicas insatisfeitas, tanta pobreza material e espiritual. Caminho de santidade é nos tornar próximos (isto é nos aproximar) das pessoas caídas, como fez o samaritano. Não se trata de fazer um ação bonita de vez em quando, mas se empenhar na medida do possível para construir uma sociedade mais justa. Participar como voluntários, agir pessoalmente em situações de necessidade, pagar com justiça os funcionários, não abandonar quem sofre; formar em nós um coração generoso que se deixa tocar pela necessidade do pobre e não seja dominado pela ganancia e apego aos bens e ao dinheiro.

Deixe o seu comentário