Paróquia
Sagrado Coração de Jesus

Poços de caldas - mg | Diocese de guaxupé

Paróquia hoje:

A vida com Jesus tem sentido- Homilia do 18º domingo do tmepo comum- Pe Graciano

Para entender o evangelho de hoje, dialogo de Jesus com seus discípulos que acontece logo depois da multiplicação dos pães que ouvimos na semana passada. Entre este dialogo e a multiplicação dos pães e peixes aconteceu o fato de quando Jesus andou nas águas e depois ele ficou mudando de lugar e o povo o procurava por toda a parte. Dai é fácil entender o início do evangelho de hoje:

“Em verdade, em verdade, eu vos digo:
estais me procurando não porque vistes sinais,
mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos.”

Dá para entender que uns dos milagres mais significativos da obra de Jesus, a multiplicação dos pães, acabou não realizando o que o Senhor queria. Jesus havia percebido logo que a mensagem da Partilha não tinha sido compreendida, pois, como vocês devem lembrar, logo depois do milagre Jesus fugiu pois queriam fazê-lo rei. Jesus não queria dizer que Deus daria comida para sempre a todos, mas que nós deveríamos aprender a partilhar assim como o rapaz que deu seus pães e peixes. Jesus lamenta que a procura por ele é devido a barriga cheia. Precisamos hoje entender esta palavra na nossa realidade: será que ainda procuramos a Deus por causa de necessidades imediatas? O mundo que vivemos é muito hábil e sedutor, pois nos faz crer que a vida é feita de desejos imediatos que precisamos satisfazer. Muito mais do que isso, o mundo é muito hábil pois é criador de novos desejos, e desejos artificiais, e muita gente se mata de trabalho para produzir os nossos desejos, e muita gente se mata de trabalho para comprar o que foi produzido.

Jesus, quase irritado, quer dizer que não é isso que ensinou: “buscai o reino de Deus e sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo” (Mateus 6,33). Jesus quer que nossa vida não seja dominada pelos desejos materiais e falsos, mas que a gente se preocupe com o alimento que sacia o coração, a alma. Jesus quer nos dizer que existe uma fome maior daquela imediata, existe uma sede mais importante. Fomos criados a imagem de Deus e temos fome e sede de quem nos criou e dá sentido a nossa vida:

“Eu sou o pão da vida.
Quem vem a mim não terá mais fome
e quem crê em mim nunca mais terá sede.”

Esta fome de Deus, esta fome e sede de plenitude, de sentido, de amor NUNCA SERÁ SACIADA PELAS NECESSIDADES MATERIAIS. Mesmo assim nos confundimos e iludimos sempre, queremos curar nossas ansiedades e angustias nos dando presentes, para muitas pessoas isso já é uma compulsão: “puxa você tem 100 sapatos, vai fazer o que com isso?” A pessoa responde: Não sei, mas eu gosto! Pergunta se ansiedade diminuiu, se a angustia diminuiu? Não diminuiu, piorou! Do mesmo jeito que aquele jovem que usa a droga e o faz sentir bem, poderoso, acima de qualquer problema. Depois o efeito passa e pessoa se sente cada vez mais afundado no abismo. Ilusão é ilusão e nunca produzirá pessoas felizes, mas pessoas cada vez mais tristes e deprimidas.

Vamos acolher a palavra de Jesus. Ele é o pão da vida. Recebemos a Eucaristia para matar a fome de Deus e da sua presença e para despertar a fome de amor, de fraternidade e de justiça. A nossa Eucaristia deve continuar na vida, é uma missão que nos chama a sermos pequenas Eucaristias, vidas doadas. Se não nos libertamos das amarras do individualismo e da ganância, se não nos libertamos da busca de prazeres imediatos, nunca sentiremos o prazer de sentar a mesa com Cristo e matar a fome de infinito e de plenitude.

Padre Graciano Cirina
Paróquia Sagrado Coração de Jesus
Poços de Caldas- MG | Diocese de Guaxupé

Deixe o seu comentário